quarta-feira, 30 de maio de 2012

Chegada da primeira filha

Depois de quase três anos de casados e aproveitado bem a vida a dois, resolvemos que era chegado a hora de começar a pensar em filhos;  No início de 1970 soubemos da gravidez da Ida, porém não anunciamos de imediato e ela continuou trabalhando no emprego dela e somente no quinto mês de gravidez , quando começou a ser perceptível , foi que as famílias foram notificadas .

Foi de uma alegria geral , pelo fato de ser a primeira, tanto da família da Ida quanto da minha; A rotina não mudou, mas a expectativa pela vinda da primeira criança sim; Conforme a data da previsão de nascimento aproximava , íamos nos preparando o enxoval, berço e tudo o mais necessários.

A rotina de trabalho no meu emprego continuava tranquilo , porém intenso com muitas horas extras e como já relatei antes , não me sentia nem um pouco cansado ou estressado pelo fato de gostar demais de mecânica. A Ford já tinha lançado o Aero Willys 2600, o Itamaraty , o Corcel  e antes já tinha a Rural e o Galaxis ; Projetos e trabalhos não faltavam e sempre estive envolvido em muitos.

A gravidez da Ida corria tranquilo com visitas de rotina ao médico , sem que ela sentisse enjoo ; Nessa época tínhamos um fusca 69 branco muito conservado , e periodicamente íamos visitar tios da Ida que moravam na Cidade Patriarca na zona Leste que ainda não tinha o prolongamento da Radial Leste ; O caminho era muito irregular e o fusca além do solavancos , balançava muito e a Ida com o tamanho da barriga bastante grande , balançava e ela tinha que desencostar do banco segurando no painel.

Mesmo no período de gravidez, e com o fusquinha , ainda viajávamos muito para Serra Negra, Lindoia, Itanhaém e outra cidades turísticas , na maioria das vezes junto com o Nelson e Dina , parceiro de república quando solteiros e cunhada , já casados.

Já no final da contagem regressiva, tudo acertado com o médico, hospital, minhas férias e da Ida já em gozo, só aguardando o sinal (contração) ,e na noite de 09/julho, quando estávamos na sala assistindo tv, estourou a bolsa "aminiótica" e saímos correndo para a Maternidade São Paulo ;

Na época , apesar de ainda não ter difundido sistema de plano de saúde médico e hospitalar , eu já possuía plano oferecido pela Ford, porém o Dr Mastroiani não era credenciado e o atendimento todo foi pelo INSS,na enfermaria, por sinal ainda era muito bom o atendimento,  diga se de passagem ; As 11hs do dia 10/julho/1970, nasceu a Elisa, nome escolhido pela Ida de um lista ,de parto normal , que por ter sido a primeira, sentiu muitas dores no  pré e durante o parto.O médico era da moda antiga e dava preferência a parto normal, o qual  a Ida também concordara.

Tudo correu maravilhosamente bem e corri para telefonar avisando a família da Ida e a minha.; Alegria geral; No quinto dia o médico deu alta e fomos em três mais a sogra para casa .

Um comentário:

  1. Encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.Tenho um blog que gostava que conhecesse. O Peregrino E Servo.
    PS. Se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para o seguir também.
    Que haja paz e saúde no seu lar.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir